English - Português
Abrir 1ª página Loja AMI
Início • AMI e o Ambiente • 

Ecoética - Dê espaço à natureza

O projecto Ecoética foi lançado pela AMI em Abril de 2011 com o objectivo de dar resposta às necessidades de conservação da natureza e de ordenamento do território em Portugal. Este projecto inclui acções de reflorestação com espécies autóctones, de controlo de espécies exóticas, de prevenção de incêndios e de requalificação de áreas fluviais.

O Ecoética pretende reabilitar mais de 1.000 hectares de terrenos devolutos, ardidos ou degradados, localizados em todo o território nacional, em parceria com associações florestais e câmaras municipais e com o financiamento e envolvimento de empresas e de cidadãos. As áreas a intervencionar são públicas ou de gestão pública e as acções são de carácter exclusivamente conservacionista, sem qualquer objectivo comercial.

A abordagem usada é totalmente inovadora em Portugal na atribuição dos terrenos aos participantes, baseada em área de terreno e não em número de árvores, e deixando desta forma as acções a desenvolver dependentes unicamente de critérios científicos e técnicos. Com o intuito de fortalecer a relação entre os participantes e os terrenos intervencionados, todos os terrenos são georreferenciados, ficando as coordenadas geográficas inscritas no certificado de participação. Isto facilita a visita aos terrenos e o acompanhamento tanto durante as fases de intervenção como ao longo das diferentes fases de desenvolvimento, crescimento e autonomização das novas florestas.

As associações florestais parceiras estabelecem protocolos com câmaras municipais que cedem os terrenos, seleccionam os viveiros que fazem a produção das plantas usadas nas acções de florestação, asseguram o transporte das plantas para os terrenos, coordenam as tarefas de florestação e organizam acções de formação dos voluntários e das escolas participantes.

Dependendo das características, da propensão e da localização do terreno a florestar, são definidas as espécies mais adequadas.

Para a lista de terrenos que se pretendem intervencionar em 2012, foi definido o seguinte conjunto de espécies:
  • Azinheira (Quercus rotundifolia)
  • Bordo ou Plátano-bastardo (Acer pseudoplatanus)
  • Carvalho Cerquinho (Quercus faginea)
  • Carvalho Roble ou Alvarinho (Quercus robur)
  • Castanheiro (Castanea sativa)
  • Choupo-branco (Populus alba)
  • Cipreste do Buçaco ou cedro-do-buçaco (Cupressus lusitanica)
  • Freixo (Fraxinus angustifolia)
  • Medronheiro (Arbutus unedo)
  • Pinheiro-bravo (Pinus pinaster)
  • Pinheiro-manso (Pinus pinea)
  • Pinheiro-silvestre (Pinus sylvestris)
  • Sobreiro (Quercus suber)
  • Vidoeiro (Betula pubescens)
A participação das empresas e dos cidadãos é feita na modalidade de donativo, em que o valor (0,50€/m²) é aplicado directamente no projecto e dá direito a um certificado de participação.
Adicionalmente, as empresas poderão participar nas acções de conservação da natureza, aproveitando-as para iniciativas de team-building. Às empresas participantes nesta modalidade será apresentada uma proposta de organização da acção, havendo um custo associado à sua preparação.

Em qualquer dos casos, as áreas intervencionadas são alvo da afixação de placas identificativas dos participantes e financiadores.

Foram já financiados, atribuídos e intervencionados 51.300 m² de terrenos florestais, localizados em Loures (Parque Municipal do Cabeço de Montachique), Melgaço e Celorico da Beira (junto ao Parque Natural da Serra da Estrela), tendo participado no projecto até este momento quatro empresas de diferentes setores, entre elas: Millennium BCP; Sogrape; e Casaisinvest, e dezenas de cidadãos particulares.
Está já contratada a afectação de mais 100.000 m2 a um destes participantes, estando as acções de conservação agendadas para 2012 e 2013.

Os principais benefícios já atingidos com a aplicação do projecto são:

- Aumento da área de coberto vegetal autóctone em Portugal;
- Prevenção dos impactes associados à introdução de espécies invasoras;
- Preservação dos solos;
- Protecção das reservas de água subterrâneas;
- Melhoria da qualidade ambiental das áreas intervencionadas;
- Manutenção de áreas de elevado valor conservacionista;
- Promoção do turismo rural e de natureza;
- Promoção da educação, cidadania e responsabilidade ambiental.


Como pode apadrinhar um terreno?

- Basta preencher a Ficha de Apadrinhamento Ecoética (em baixo). Porteriormente enviar-lhe-emos um Cartão de Apadrinhamento via CTT.


Sugestões:

Particulares - Apadrinhe este projecto e tranforme-o num presente de aniversário ou de Natal, brinde de casamento, ou outro. Estará assim a exercer uma cidadania activa e participativa.

Empresas - Faça uma oferta aos seus colaboradores, clientes, fornecedores, etc. Para além de uma forma de reconhecimento, será uma acção de responsabilidade empresarial ambiental e social.

Para participar ou saber mais sobre este projecto, contacte a AMI através do número de telefone 218 362 100 ou do e-mail ecoetica@ami.org.pt


Ficha de Apadrinhamento
Para apadrinhar um terreno preencha a ficha em anexo (documento em Word).
[14-04-2011 11:03:35]

http://loja.ami.org.ptLoja AMI
Livros, Papelaria, Vestuário e muito mais!
http://fernandonobre.blogs.sapo.ptBlog "Contra a Indiferença"
Consulte o blog de
Fernando Nobre
Mais informaçãoCartões AMI
Cartão de Saúde AMI
Cartão de Crédito Barclaycard AMI
Secções
Pesquisa
Donativos online